Artigo

Produção e Comercialização de Uvas e Vinhos

Loiva Maria Ribeiro de Mello

A produção de uvas no Brasil se localiza nas regiões Sul, Sudeste e Nordeste. Constitui-se em atividade consolidada, com importância sócio–econômica, nos Estados do Rio Grande do Sul, São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Pernambuco, Bahia, e Minas Gerais, com participação de 58,14%, 18,77%, 9,17%,4,97%, 4,76%, 2,89% e 1,30%, da área colhida em 1999, respectivamente. No ano 2000, 56,13% da produção nacional de uva foi destinada à elaboração de vinhos, sucos, destilados e outros derivados, perfazendo um total de 549.306 toneladas de uvas (Tabela 1). Além dos Estados tradicionalmente produtores de uva, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Goiás (Região Centro-oeste) e Ceará (Região Nordeste) despontam como potenciais produtores de uvas de mesa.

Tabela 1. Produção de uvas no Brasil, em toneladas

Discriminação/Ano

1996

1997

1998

1999

2000

Uva para Vinho

313.331

414.485

348.523

469.870

549.306

Uva de Mesa*

417.554

441.156

387.947

398.479

429.271

Total

730.885

855.641

736.470

868.349

978.577

*Dados estimados

O Estado de São Paulo é o principal produtor de uvas de mesa do Brasil, participando com cerca de 20% de área e de produção nacional. Em 2000 produziu 100,5 milhões de quilos de uvas finas e 54,9 milhões de quilos de uvas comuns.

A produção de vinhos, suco de uva e derivados do vinho ocorre em doze regiões vitivinícolas brasileiras , com maior concentração no Rio Grande do Sul, onde são elaborados 300 milhões de litros de vinho e mosto como média anual, representando 90% da produção nacional. Cerca de 20% da produção tem por base uvas viníferas e 80 % americanas e híbridas.

A maior região produtora de uva do Rio Grande do Sul, a MR 016, conhecida como Serra Gaúcha, possui cerca de 17.500 estabelecimentos rurais, dos quais mais de 80% pertencem a viticultores. As propriedades são tipicamente pequenas, com 15 ha de área total média, sendo que destas a superfície total média varia de 40 a 60%, e empregam essencialmente mão-de-obra familiar. Pela topografia acidentada nesta região, a mecanização é apenas parcial. A área com vinhedos, em 77,55% das propriedades, tem menos 2 ha e 17,36% têm entre 2 e 5 ha, ou seja, em média, 12,9 % da área da propriedade é ocupada com videiras.

A região MR 030 - Campanha Central, no Rio Grande do Sul, apresenta um perfil de propriedade vitícola que difere da tradicional MR 016. Caracteriza-se por uma exploração empresarial em grandes áreas e uso intensivo da mecanização. A uva produzida nessa região é destinada à elaboração de vinhos finos.

Outros municípios não tradicionais do Rio Grande do Sul estão implantando a viticultura como alternativa de diversificação para a pequena propriedade.

A Ceagesp é a principal central de comercialização de uvas de mesa e pode ser tomada como referência para estimar as tendências nacionais. Do total de uvas comercializada em 1997, 51,09% era de uvas finas e 32,25% de uvas comuns. As principais cultivares finas são Itália e Itália Rubi e das comuns a Niágara representa mais de 80% do total comercializado neste grupo. Vale destacar também que , 16,66% da uva comercializada era importada.

No ano 2000 foram comercializadas 319.316 milhões de litros de vinhos, sucos e derivados, sendo 221.023 milhões de vinhos comuns, 34.195 milhões de litros de vinhos de viníferas, 4.330 milhões de litros de espumantes, 6.847 litros de suco de uva natural e 15.316 milhões de quilos de suco concentrado. A evolução da comercialização de vinhos, suco e derivados do Rio Grande do Sul do qüinqüênio 1970/74 a 1995/99 é apresentada na Figura 1. Observa-se que houve crescimento na comercialização de vinhos de consumo corrente até 1990/94 com uma pequena queda no último período. O crescimento dos vinhos finos foi muito mais acentuado até 1985/89, permanecendo praticamente constante nos períodos seguintes. Cabe destacar o crescente mercado de suco de uvas, que começou a ser processado no período 1970/74, tendo apresentado curva sempre ascendente.



midiap1.jpg

O consumo brasileiro per capita/ano de vinhos apresentou uma tendência à redução nos últimos anos e atualmente situa-se em 1,89 litros. O de suco de uva, no entanto, aumentou significativamente, passando de 0,15 L até 1995 para os atuais 0,33 L. O consumo de uva de mesa é de 2,32 Kg per capita.

Tabela 2. Consumo per capita de vinhos, sucos e uvas, no Brasil, em litros, 1993/2000

Produtos/anos

1993

1994

1995

1996

1997

1998

1999

2000

Vinhos

1,85

1,77

1,51

1,58

1,62

1,60

1,80

1,89

Suco de Uva

0,09

0,15

0,22

0,24

0,25

0,48

0,38

0,33

Uvas de Mesa

2,79

2,18

2,69

2,79

3,12

2,52

2,35

2,32

Uvas secas

0,06

0,09

0,25

0,10

0,09

0,09

0,10

0,09

 Econ.,Ms - Embrapa Uva e Vinho, CEP 95700-000 Bento Gonçalves, RS, e-mail loiva@cnpuv.embrapa.b