Artigo

O Vinho Tinto pode Diminuir o risco de Doença Coronariana em Obesos

Pesquisa comparou abstinência e consumo de vinho, cerveja e conhaque por obesos
31 de julho, 2002
Às 3:33 PM hora de Brasília (1833 GMT)

NOVA YORK -- Que pessoas obesas têm um risco maior de desenvolver doença coronariana todo mundo sabe. Mas algumas doses de vinho tinto podem afastar em parte esse risco, segundo uma nova pesquisa realizada na Austrália e publicada na edição de julho do European Journal of Clinical Nutrition.

Os médicos J. B. Dixon e sua equipe do Alfred Hospital, de Melbourne, descobriram que os obesos que consomem moderadamente vinho tinto reduzem o nível no sangue da proteína homocisteína.

Os altos níveis da proteína já foram relacionados a um aumento no risco de doença cardiovascular. Assim sendo, segundo a pesquisa, manter sob controle os níveis de homocisteína pode cortar ou pelo menos reduzir esse risco.

No estudo, os cientistas mediram os níveis de homocisteína no sangue de 350 homens e mulheres obesos e os questionaram sobre seus hábitos de consumo de álcool.

Segundo os pesquisadores, aqueles que disseram consumir vinho tinto apresentaram concentrações sangüíneas 17 por cento mais baixas de homocisteína do que aqueles que não tomam bebidas alcoólicas e 13 por cento menores do que os que consomem cerveja ou conhaque.

Os níveis ligeiramente mais baixos de homocisteína foram observados nas pessoas que consomem menos de 100 gramas de vinho por semana.

O consumo leve a moderado de vinho tinto por indivíduos obesos está associado a baixas concentrações de homocisteína e isso pode reduzir seus riscos cardiovasculares, concluem os pesquisadores australianos.

(Com informações da Reuters)