Artigo

É verdade que é melhor beber vinho com os alimentos?

Sim. É altamente recomendável que o vinho seja consumido junto com os alimentos. Vinho e comida foram feitos um para o outro.

Na composição do vinho existem cerca de 1.000 substâncias, mas uma só em quantidade capaz de causar dano no organismo: o álcool. É com ele que precisamos ter cuidado.

O álcool é quase totalmente absorvido pelo estômago e duodeno (porção inicial do intestino, que segue o estômago), metabolizado fundamentalmente pelo fígado e eliminado do organismo pela urina, ar expirado, saliva e suor. A maioria das pessoas têm a capacidade de metabolizar 1 grama de álcool por cada quilograma de peso corporal num período de 24 horas. Assim, uma pessoa de 70 kg seria capaz de metabolizar 70 g de álcool ao longo de um dia (o equivalente a uma garrafa de vinho a 12 ºGL). Mas isso não é padrão e varia para cada pessoa dependendo da idade, sexo, peso corporal, constituição gênica, padrão de ingesta, uso concomitante de alguns medicamentos e, claro, de alimentos. O jejum faz com que a assimilação do álcool pelo organismo seja mais rápida. Os alimentos, sobretudo os gordurosos, o leite e derivados retardam consideravelmente a sua absorção, dando mais tempo para o fígado metabolizá-lo. O álcool, quando adequadamente metabolizado, não causa dano ao organismo. A presença de alimentos no estômago pode duplicar o tempo de absorção do etanol.

Além disso, o vinho, com sua riqueza e diversidade de elementos pode realçar os sabores e aromas da comida valorizando muito o prato e, desse modo, tornar a refeição algo muito prazeroso.

O vinho sem comida é como praia sem sol, primavera sem flores, beijo sem carinho...

 

                                                                                                              jairo@monson.med.br